Sunday, April 08, 2018

Leituras em Março



O mês de março foi um mês de leituras diversificadas. Alguns livros foram escolhidos como suporte de trabalho,  mas a maioria foi apenas o meu suporte para tolerar os tempos de espera nos transportes públicos. Esta é a resposta à pergunta:”Como arranjas tempo para leres?” Eu não tenho mais tempo para ler. Aproveito o tempo “morto” para o fazer. Até nas filas das caixas de supermercado conseguem apanhar-me a ler... Estas foram algumas das minhas leituras de março:



O segundo volume da coleção de T. H. White: “O único e eterno rei”. Um livro muito pequeno cujo tema principal é o sentido da guerra. Porque lutam e como lutam? Merlin faz Artur questionar-se e leva-o a procurar respostas. 




Este livro serviu de suporte para uma atividade na biblioteca. Um grupo de çrianças de doze anos é convidado para passar a noite na novíssima biblioteca do Sr. Lemoncello. Mas o maior desafio será conseguir sair da biblioteca. Para tal, terão de resolver enigmas e trabalhar em equipa. É uma ideia interessante e os adolescentes gostam deste tipo de desafios de “escape rooms”. 




Mais um livro de suporte às minhas aulas e aos meus próprios filhos adolescentes. Eduardo Sá descomplica e desmistifica uma série de conceitos, diria até de preconceitos sobre os adolescentes e a adolescência. Leitura fácil mas interpelante. Afinal, adolescentes somos nós.  Não é um livro fácil de encontrar, mas recomendo para quem trabalhe com adolescentes e/ou tenha filhos adolescentes.



L

Já me debrucei AQUI no blog sobre este livro. Excelente forma de introduzir os mais novos à física quântica.





Um livro para ler devagarinho, para saborear. Comecei em fevereiro e foi a minha forma de viver o tempo da quaresma. Pablo d’Ors é um sacerdote católico, fundador da associação Amigos do Deserto, cujo objetivo é o de aprofundar e promover a prática da meditação. Este livro é composto por uma série de pequenos textos onde o autor partilha a sua própria experiência de vida. 






Quando vi esta nova versão da editora Guerra e Paz, não resisti. Foi uma feliz coincidência pois este foi o livro escolhido pelo meu clube de leitura. O Júlio Verne é um dos meus escritores preferidos e li a maioria das suas obras, por isso foi como rever um velho amigo. Gosto dos livros que usam este tipo de papel Coral Book Ivory 80g. Tornam a leitura mais fácil para pitosgas como eu. Foi um prazer reler as aventuras de Phileas Fogg e do seu corajoso criado Passpartout, à volta do mundo. 




Esta história foi recentemente adaptada ao cinema. É considerada por muitos como “um dos mais fascinantes clássicos de todos os tempo”. Bem, é um livro infanto juvenil, que fala das aventuras de 2 irmãos e de seu amigo, em busca do pai que desapareceu há mais de um ano enquanto efetuava uma experiência relacionada com o tempo. A história é interessante e bem escrita mas não lhe chamaria um dos mais fascinantes clássicos de todos os tempos. Mas, é apenas a minha opinião de adulta. Os mais novos devem sentir esta aventura de forma diferente...





Este foi o livro escolhido para a minha hashtag: #históriasqueconheçomasnuncalioslivros. Vi este filme dezenas de vezes, nas suas diferentes versões, mas na realidade nunca tinha lido o livro. Não é um livro de fadas e sereias típico, cheio de boas ações e magia. Os personagens são complexos, sentem ciúmes,  são contraditórios. Depois de ter visto com a minha filhota todos os fimes da Sininho produzidos pela Disney, não a reconheci na forma como é descrita no livro. Mas é de facto um livro bem escrito, imaginativo,  que consegue levar-nos diretamente para a Terra do Nunca. E sabem... não são só os meninos que sofren do síndrome do Peter Pan! Também há meninas que sofrem do mesmo :)



Post a Comment